Igreja Ativa sem Ativismo

Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter

"Por que de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós."

I Coríntios 3:19

A vida crista é de plena atividade. Paulo diz que somos cooperadores de Deus. Será que Deus precisa de alguém para cooperar com ele? Alguém disse que a única vez que Deus dispensou a participação do homem foi na criação do próprio homem.

A partir daí, Deus teve e tem o homem como seu cooperador. Noé foi usado para construir a arca; Moises para liderar o povo para fora do Egito. O menino para levar os Paes e peixes para que Jesus os multiplicasse. A Bíblia registra com profusão homens e mulheres sendo usados por Deus. Os salvos tem missão gloriosa para o estabelecimento do Reino de Cristo aqui na terra.

        Há os que acham que, como são salvos, é só esperar Deus fazer o restante, ficando em completa imobilização. Outros defendem um ativismo, que resulta num envolvimento em todos os setores da igreja.

        O equilíbrio deve ser o alvo de cada membro e da igreja toda.

        Alguns perigos cercam os membros da igreja quanto à participação nas atividades da mesma. Ouvimos crentes que falam tanto que a igreja não trabalha, que os crentes não evangelizam, que ninguém está disposto a realizar coisas novas, programas especiais, etc. De tanto falarem negativamente, criam um certo complexo de inatividade em crentes que se sentem tão culpados, que um dia resolvem agir.

        Aí essas pessoas passam ao ativismo. Querem fazer e fazem outros fazerem algo, não importa o que nem como: só importa fazer.

        Há os que se tornam adeptos de relatórios e para poderem preencher um relatório, obrigam os grupos a se reunirem. Isto pode fazer com que os crentes não tenham mais tempo para a família nem mesmo para a devoção pessoal.

        A igreja, no entanto não pode ser INATIVA. Ela precisa ser OPERANTE. Ela não pode deixar de agir como fermento. Mas devemos lembrar que Deus nos deu responsabilidades sociais, familiares e também eclesiásticas. Minha responsabilidade é descobrir o equilíbrio, para não pecar em excessos ou faltas.

        Não tenho o direito de privar minha família, por causa das mil e uma atividades ligadas a igreja; nem tampouco abandonar a igreja por causa da família, posto que sou servo de Jesus para atuar como cooperador de Deus. O equilíbrio é possível sim.

        A principal atividade da igreja é o culto de Adoração e Louvor. Assim seremos lavoura de Deus. Lavoura que produz alimento, sustento e vida.   Assim somos edifício de Deus. Edifício que abriga, que dá proteção e apoio.

        Que Deus nos dê discernimento, disposição, sabedoria e disciplina para agirmos sem os tornarmos ativistas, sem fazermos de nossa igreja apenas uma atividade a mais.

 Esta é a nossa oração.

Pastor Paulo Roberto Sória

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

KZ Contratipos